sexta-feira, 12 de setembro de 2008

MELHORES MOMENTOS

Desde que voltamos de viagem já fui perguntado diversas vezes sobre a mesma coisa: qual foi o evento mais legal que eu presenciei em Pequim? E por mais que eu pense, ainda não consegui precisar qual é aquele jogo, competição ou evento que se diferenciou em relação às demais. Posso citar as principais, fazendo uma lista, mas sendo incapaz de colocar em ordem de preferência. Começando com o óbvio:


- Jogos do TEAM USA de Basquete Masculino: assisti a 4 jogos, contra Grécia e Alemanha (primeira fase), Austrália (quartas-de-final) e Argentina (semifinal). Como basqueteiro mais do que convicto e mega-maxi-fã da NBA, ver os caras jogando ao vivo, especialmente Kobe, Lebron, Jason Kidd (sim, velho, mas oras, é o Jason Kidd!) e D-Wade, sem falar nas novas estrelas, como Chris Paul e Deron Williams, que vão duelar pelo título de melhor armador da NBA nos próximos anos foi sensacional. Vale citar também as estralas dos outros países, como Ginobili, Gasol, Dirk Nowitzki, Yao Ming, Jasikevicius, e por aí vai...

- Semifinais do Tênis: especialmente o jogo entre Rafael Nadal (o atual #1 do mundo) e Novak Djokovic (atual #3, mas que fatalmente ainda será o #1). Agradeço mais uma vez à Tati Zanon, que me viabilizou esse ingresso. Um jogo histórico, estabelecendo definitivamente a importância dos Jogos Olímpicos para os tenistas, não só porque agora vale pontos no ranking, o que ficou claro pelo choro do Djokovic após a derrota na semi de simples, pela sua comemoração ao vencer a disputa pelo bronze, pela comemoração do Federer ao conquistar a medalha de ouro em duplas e pela vontade do Nadal, o campeão de simples.

- Final dos 100m rasos masculino: acho que não preciso escrever muito. Recorde Mundial mesmo soltando nos últimos 20 metros, chegando de lado e batendo a mão no peito. 9‘69”. Um monstro. Como já escrevi antes, espero que não haja nada de errado com o Bolt, se é que vocês me entendem. Esse evento também vai ficar muito marcado para mim por ter sido o primeiro dia em que entramos no Estádio Nacional, o Ninho de Pássaro, que é um estádio simplesmente inacreditável (peguei esse adjetivo de um dos comentaristas do Sportv, e acho que é o mais aplicável). Por mais fotos que tiramos dele, e foram muitas, nenhuma delas conseguiu registrar a sensação de estar dentro ou observando de fora.


- Final do Vôlei Feminino: comemorar uma medalha de ouro, cantar o Hino Nacional... sem palavras.

- Jogo entre Argentina x Grécia, quartas-de-final do Basquete Masculino: o melhor jogo dos 15 que assisti no torneio de Basquete Masculino. Mega-equilibrado, dois timaços (técnica e taticamente), decisão nas duas últimas posses de bola. Espetacular.


- Cerimônia de Encerramento: talvez menos espetacular do que a cerimônia de abertura em termos visuais, mas que colocou um ponto final nos jogos de uma forma que, para quem estava lá, foi na medida certa. Talvez poderiam ter aumentado a parte da transição para Londres, a sede de 2012, mas a extinção do fogo olímpico, após a exibição das imagens de cada um dos dias de jogos, foi emocionante.

Um comentário:

Tati disse...

Ronalt,
Curti muito o post. Eu ainda não elegi meus principais momentos, mas vou fazê-lo. Usain Bolt, com certeza, igual. Volei feminino, mesmo não tendo ouvido o hino nacional, estive lá por metade do ouro. Ainda lembro do seu SMS avisando que o ouro era nosso. Chorava copiosamente no aeroporto e ninguém entendia. Hahaha...
Ah, e não precisa me agradecer pelo ticket do Tenis. Com certeza eu não teria tido a sua emoção na partida que assistiu, então para mim é gratificante que tenha proporcionado esse momento entre os TOP 5.
Beijos pra ti e Ana! :)