quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

FARRA OFICIALIZADA

Os dirigentes da FIFA estão no Brasil para avaliar os projetos das sedes da Copa do Mundo de 2014. Ontem foi anunciado pelo Presidente da FIFA, Joseph Blatter, que o mundial terá 12 sedes, quando o normal seria que fosem apenas 10. Se considerarmos as dimensões do Brasil, até faria um pouco de sentido, mas sabemos que os critérios usados para a definição desse número (na minha opinião) excessivo de sedes não é técnico, mas sim político. Com isso, está oficializada a farra que será a corrida para as construções (ou reformas) de estádios.

No último sábado a ESPN Brasil exibiu a entrevista com o Presidente Lula no programa "Bola da Vez". Questionado sobre a Copa de 2014, Lula garantiu que não será utilizado dinheiro público FEDERAL na construção ou reforma de estádios, somente nas questões de infra-estrutura. Paulo Vinícius Coelho, o PVC, replicou prontamente que o Estádio Mané Garrincha, de Brasília, seria reconstruído através de uma parceria público-privada (PPP) e que, até o momento, só há a garantia da origem do dinheiro PÚBLICO. Lula afirmou que não pode controlar o que prefeitos e governadores fazem com as respectivas verbas, só pode responder pelas verbas federais.

Pois é, como se desse para acreditar numa palavra do que ele diz e como se boa parte do dinheiro que os estados e municípios vão utilizar não tivesse origem nos repasses federais. É mais do que evidente que, quando as obras estiverem "atrasadas", aí sim haverá justificativa para o socorro federal, pois "as circunstâncias" exigiram a ajuda. Foi assim no Pan Rio-2007, quando o governo liberou centenas de milhões de reais para a conclusão das obras. É brincar com a nossa inteliigência. O que nos faria acreditar que o mesmo não acontecerá lá para 2012 ou 2013? É verdade que Lula e, se tudo correr bem, o PT não estarão mais lá (três batidas na madeira) e se o Presidente for mesmo José Serra, surge alguma esperança. Mas mesmo assim será difícil não abrir os cofres...

E se, mesmo com tudo isso, o dinheiro público fosse utilizado da forma correta, ou seja, sem superfaturamento (alô Pan 2007!), caixa-dois, propinas, enriquecimento ilícito de políticos, empresários, entre outros, daria até para aceitar o investimento. Mas sabemos que, quando o assunto é Brasil, não podemos esperar nada diferente da farra anunciada.

Por essas e outras espero que o Rio não ganhe o direito de sediar os Jogos Olímpícos de 2016... mas isso já é assunto para outro post, que pretendo publicar em breve.

.

2 comentários:

Rodrigo disse...

Vale a pena comentar a disputa que os Estados estão travando pela abertura da Copa. Vai ser uma longa briga política !

Sei que o próximo assunto do seu blog vai ser sobre o sonolento e nada emocionante Super Bowl (risos), porém que tal comentar um pouco sobre a seguinte notícia: "São Paulo fica em 8º lugar no ranking dos melhores times do mundo da IFFHS".

Abraços

Ronalto disse...

Esse ranking do IFFHS é patético, me recuso a comentar sobre ele.

Abraço!